Como planejar sua viagem sabática: 10 dicas

Como fazer o orçamento, contar para a família, organizar a documentação, escolher meios de transporte e fazer sua mala: tudo o que você precisa saber para organizar a sua viagem sabática.
Renata Assunção

Você está pensando em fazer uma viagem pelo mundo? Que bom que chegou ao nosso post. Nós já realizamos este sonho e somos grandes incentivadores de que outras pessoas vivam a mesma experiência. Aqui vamos compartilhar um pouquinho da nossa jornada e vamos dar dicas úteis sobre como planejar sua viagem sabática. 

O planejamento de uma viagem de longo prazo é fundamental, ainda que durante o trajeto você sinta a necessidade de fazer alguns ajustes. No nosso caso, por exemplo, pensávamos em viajar direto por um ano, mas ficamos com saudades da família, além de bastante cansados, e resolvemos fazer uma pausa estratégica para descansar e recarregar as nossas energias. Claro que isso acabou comprometendo o nosso roteiro e o número de países e cidades que nós conhecemos, mas foi fundamental para que a gente pudesse aproveitar cada destino com a atenção e a dedicação que ele merecia. 

Casal se abraçando em frente a ponte de Veneza
Veneza, na Itália.
  1. Escolhendo o roteiro
  2. Orçamento: diminuindo seus custos fixos 
  3. Orçamento: como economizar na viagem 
  4. Como contar para a família?
  5. Documentos: passaporte, vistos e atestados de vacinação 
  6. Seguro viagem: como escolher
  7. Dinheiro ou cartão? 
  8. Chip de celular, qual o melhor?
  9. Meios de transporte
  10. As malas: o que levar 
Casal passeando de barco pela região do Algarve, em Portugal
Algarve, Portugal.

Posts que também podem lhe interessar: 

Saiba tudo sobre Seguro Viagem

Cinco dicas para usar o site de reservas Booking.com

1- Escolhendo o roteiro – Como planejar sua viagem sabática

Mapa do mundo com marcações das cidades visitadas na Europa em nossa viagem sabática
Os locais que visitamos na Europa.

Nós sempre recomendamos que a primeira tarefa a se fazer – e uma das mais interessantes também – é pensar qual roteiro você gostaria de realizar. Por que? Porque isso vai impactar muito no seu orçamento final e, portanto, não dá para começar a fazer a planilha do seu custo se você ainda não souber para onde pretende ir e quanto tempo pretende ficar em cada local. 

Essa é uma das atividades mais divertidas no desafio de como planejar sua viagem sabática e você começará a viajar antes mesmo de sair de casa. Ligue seu computador, abra o Google Maps e vá escolhendo e pesquisando cada destino. Se o seu objetivo é tentar reduzir o custo da viagem, tente mesclar países mais caros com outros mais baratos. Porque, se por um lado você pode gastar USD 5 em uma refeição completa com bebida alcóolica na Tailândia, por outro pode ter de desembolsar este mesmo valor para comprar uma uma garrafa de água mineral na Itália. Mas, como saber o custo de cada lugar? Aqui indico alguns sites que oferecem as cotações: 

Expatistan – é um site que funciona de forma colaborativa, ou seja, os próprios usuários colocam os preços dos produtos e serviços onde moram. Os custos são divididos em grupos: alimentação, moradia, vestuário, transporte, cuidados pessoais e entretenimento. O site oferece, inclusive, a comparação de valores entre duas cidades. 

Outras opções:

> Quanto custa viajar

> Numbeo

Casal abraçado perto de parreiras em Bordeaux, na França
Nós dois visitando uma vinícola em Bordeaux, na França.

Além disso, na época em que planejamos o nosso ano sabático, nos ajudou muito ler o artigo escrito por um outro casal viajante cuja experiência acompanhávamos pelo Instagram. Desta forma, sabíamos exatamente o estilo de viagem que eles estavam fazendo e podíamos adequar ao nosso estilo com mais precisão. Eles fizeram um cálculo levando em consideração gastos com transporte, alimentação e hospedagem e dividiram os destinos em três categorias: $90 por dia, entre $45 e $90 por dia e menos de $45 por dia e, então, fizeram uma mistura de países que contemplava tanto aqueles com custos baratos quanto os mais caros. Para ler o artigo completo, clique AQUI

Depois que você fizer um levantamento do custo de vida em cada um dos destinos que pretende conhecer, pode começar a mesclar as cidades em seu roteiro. Além disso, é importante pensar em quanto tempo pretende ficar em cada um deles, para assim, conseguir organizar o seu orçamento e prever o quanto de dinheiro você precisará juntar. 

2 – Orçamento – como diminuir seus custos fixos

mulher deitada na rede e homem sentado em cadeira, ambos se olhando na varanda de casa
Em casa.

Uma das perguntas que mais recebemos em nossas redes sociais é: como economizar dinheiro em um sabático. Talvez esta também seja sua dúvida e nós podemos ajudar com algumas dicas. A primeira delas é: tente diminuir, o quanto puder, as suas contas fixas no país de origem. Carro, casa, telefone celular, é bom que todos estes gastos sejam suspensos.

Vou contar um pouco da minha experiência para exemplificar melhor: quando decidimos fazer a viagem sabática, eu e Fernando não morávamos juntos ainda e eu alugava um apartamento. O que fiz? Devolvi o imóvel e peguei os meus poucos pertences (a parte boa de buscar ser minimalista), coloquei em algumas caixas e levei para a casa do Fernando. Se eu não tivesse essa possibilidade, poderia, por exemplo, ter colocado em um guarda móveis, já que eles são infinitamente mais baratos do que o aluguel de um apartamento. No caso do Fernando, a casa ficou sob responsabilidade dos filhos, que dividiram as contas mensais, evitando assim, que ele precisasse pagar contas de luz, gás e água. Se você tiver um imóvel próprio, também pode pensar em alugá-lo para fazer uma renda extra.

Sobre o carro, a ideia era vendê-lo, mas poucos meses antes da viagem, uma motorista bateu na traseira do meu carro e eu recebi o dinheiro do veículo pela seguradora. No caso do Fernando, já faz muitos anos que ele não tem carro próprio e utiliza aluguéis de longa duração, então, precisou apenas devolver o veículo para a locadora. 

Meu telefone celular eu transformei em pré-pago e o Fernando pagou uma taxa para ativar o serviço de roaming internacional. Achei que sairia mais caro, mas acabou saindo o mesmo preço, falaremos sobre isso adiante. 

Cancelei a internet e a tv a cabo, não tinha mais conta de luz, de gás, de água, de condomínio. Também suspendi minhas aulas particulares de espanhol. A academia de ginástica foi o último serviço do qual abri mão. A única conta que mantive foi a do plano de saúde, para não perder a carência na volta, mas essa é uma escolha sua e você também pode preferir economizar esse valor. Agora que você já cuidou de todas as suas despesas fixas, é hora de pensar em como economizar no destino para o qual você pretende ir.

3 – Orçamento: como planejar sua viagem sabática e economizar 

casal fazendo carinho em cachorro deitado no chão em viagem sabática
Na casa que alugamos em Florença, na Toscana, pelo Airbnb.

Como não gastar nada com hospedagens 

As hospedagens estão entre os itens mais caros de uma viagem. Existem várias formas de você economizar (ou até não gastar absolutamente nada) com a sua, a depender do quão você está disposto a abrir mão do conforto e/ou do seu tempo. Se você quer tentar não gastar nada com hospedagem, sugiro quatro opções, mas ressalto que nós só ficamos em hotéis ou apartamentos alugados pelo Airbnb em nosso sabático e, portanto, não temos opinião formada a respeito destes aplicativos.

A primeira delas e talvez a mais conhecida é o Couchsurfing, uma plataforma que oferece a oportunidade de se hospedar de graça na casa de moradores locais. Como funciona? O site é como uma rede social: você se cadastra e vai poder ver os perfis de usuários que buscam hospedagens e daqueles que oferecem. Além disso, há avaliações das experiências, o que garante um pouco mais de segurança para ambos. 

Outro site onde você também pode encontrar hospedagens grátis é o Trusted House Sitters. Nele você encontrará donos de animais de estimação que estão em busca de um viajante para cuidar do seu pet. Desta forma, o pet sitter vai ganhar uma casa para morar por alguns dias gratuitamente em troca de alimentar e cuidar do animal na ausência de seu dono. 

O viajante também pode trocar trabalho por hospedagem. Existem vários sites onde você pode se cadastrar para ir em busca de locais para ficar de graça, mas a contrapartida é dedicar algumas horas da sua semana para realizar trabalhos não remunerados. O WorldPackers é um dos mais famosos e nele você pode filtrar os trabalhos que mais têm a ver com o que você pretende realizar, como, por exemplo, fotografia, social mídia, trabalhos manuais, etc. 

Veja abaixo algumas outras opções de sites que oferecem o mesmo serviço: 

E há ainda o WWOOF que é uma plataforma com diferentes fazendas colaborativas onde você pode se voluntariar para trabalhar ao lado de agricultores e produtores orgânicos. É como os sites de troca de trabalho por hospedagem, mas com o foco em comunidades sustentáveis, o que permite um bom aprendizado do setor, além de troca de experiência com outros viajantes. 

Hospedagens baratas

Para quem prefere investir um pouco de dinheiro para economizar tempo, já que no caso das hospedagens gratuitas você precisa realizar os trâmites com certa antecedência, existem várias opções de acomodações mais em conta como albergues, quartos alugados pelo Airbnb e campings. Como, no nosso caso, privacidade era um item fundamental, nós não experimentamos nenhuma destas opções. 

Como economizar se hospedando em hotéis 

Casal de roupão se abraçando em viagem sabática
Hotel onde nos hospedamos no Algarve, em Portugal.

Agora sim vamos poder dar dicas de algumas das nossas experiências. Abaixo vamos listar algumas atitudes que você pode ter para garantir uma boa economia em suas hospedagens, mesmo que você esteja procurando hotéis de luxo.

Faça reserva com antecedência

A dica número um para tentar buscar tarifas mais em conta é fazer suas reservas com antecedência, sempre comparando os preços dos hotéis em agências de viagens online (OTA, na sigla em inglês), como Booking.com e Hotéis.com. Além de fazer a busca, se você sempre reservar por estas plataformas, você vira um cliente vip e tem direito a tarifas especiais. Nós, por exemplo, somos “Genius” no Booking.com e conseguimos tarifas por lá que nem falando diretamente com o hotel a gente consegue. 

Economize com reservas feitas em cima da hora

Mas, se por um lado marcar uma hospedagem com antecedência pode trazer benefícios, por outro fazer uma reserva no mesmo dia em que você deseja se hospedar também pode garantir bons preços (apesar de sempre ser um pouco arriscado). Alguns aplicativos como Priceline e Hotwire, por exemplo, disponibilizam promoções de hotéis de luxo que estão com quartos vazios e que não oferecem descontos em seus próprios sites. Algumas promoções escondem o nome do hotel que você está reservando, mas é possível ver a localização e o número de estrelas. Pelo site Priceline também é possível escolher o valor que deseja pagar para a hospedagem através da função “Name your Price”. No Brasil nós não conseguimos baixar o app do Hotwire, mas você pode fazer sua busca pelo site. 

Utilize a reserva de outra pessoa

Existe um aplicativo chamado Roomer onde o turista pode comprar o quarto não reembolsável de outra pessoa. Desta forma, tanto o viajante que fez a reserva (e perderia o investimento) quanto quem está em busca de uma hospedagem mais em conta, saem ganhando. A plataforma cuida das transferências de nomes e outras burocracias. 

Como planejar sua viagem sabática investindo em programas de milhagens dos hotéis

Uma vantagem de ser fiel a uma rede hoteleira é conseguir diárias gratuitas através dos programas de fidelidade. Nós somos clientes da Accor, por exemplo, e já nos hospedamos diversas vezes sem pagar nada, utilizando apenas os nossos pontos acumulados. Além disso, sempre que disponível nós  conseguimos upgrades gratuitos por sermos clientes frequentes. 

Como planejar sua viagem sabática utilizando milhas dos cartões de crédito

Outra forma de conseguir baratear o custo da sua hospedagem ou ainda conseguir diárias grátis é através da utilização das milhas do seu cartão de crédito. Nós nunca fazemos direto do site do banco e sim através de companhias aéreas. Por que? Assim nós conseguimos dobrar o número de milhas. A gente sempre espera uma promoção para transferência dos pontos do cartão de crédito para a companhia aérea de nossa preferência. Assim, se temos 10 mil pontos no cartão de crédito, eles são transformados em 20 mil pontos dentro do programa de milhagem da companhia aérea. Depois de realizarmos este trâmite (não dá para deixar pra fazer em cima da hora porque as empresas sempre pedem o prazo de alguns dias úteis para computar a pontuação na sua conta), nós fazemos a busca pelos hotéis.

Como economizar com alimentação em viagem

casal brindando com vinho tinto em jantar na varanda de casa na Toscana em viagem sabática
Casa que alugamos na Toscana.

Alimentação também é outro item que pesa no orçamento dos viajantes. Claro que você pode buscar alternativas bastante econômicas como cozinhar suas próprias refeições ou comer comidas de rua. Mas, quem acompanhou nossa viagem sabe que damos bastante importância para a gastronomia e que experimentar restaurantes é uma das diversões preferidas em nossas viagens. Por isso, neste post vou dar algumas dicas de aplicativos que você pode baixar para garantir promoções e preços mais convidativos nos restaurantes. 

casal brindando em mesa de restaurante em Berlim em viagem sabática
Restaurante em Berlim, na Alemanha.

Além de colaborar com a diminuição do custo da nossa viagem, os apps foram muito úteis para que a gente pudesse fazer nossas reservas sem perder tempo. Especialmente na França, fazer a reserva é fundamental para garantir sua mesa. Já ocorreu de chegarmos em restaurantes que estavam aparentemente vazios e mesmo assim não conseguimos jantar por estarmos sem reserva. Vamos aos apps:

  • Chefs Club – clube de desconto (você precisa pagar uma assinatura). 

4 – Como contar para a família sobre o seu sabático

Rota romântica - Rothenburg ob der Tauber
Rothemburg, uma das cidades mais encantadoras da rota romântica da Alemanha.

Pronto. Chegamos ao momento em que sua decisão já foi tomada e você já tem o dinheiro para viajar. Agora você começa a pensar em como contar para a sua família. Para alguns viajantes, isso não tem nenhum peso, mas para outros, o apoio moral de amigos e familiares é fundamental. E, claro, as perguntas e até algum julgamento provavelmente irão ocorrer, então é bom que você esteja preparado. Uma boa estratégia é pensar nas perguntas que as pessoas irão fazer e planejar respostas para cada uma delas. Vou dar alguns exemplos de perguntas que nos fizeram quando nós estávamos planejando a nossa viagem: 

  • Como vocês pretendem se sustentar? 
  • Como será a volta? 
  • Não tem medo de ficar desempregado(a) depois? 
  • Não seria melhor investir este dinheiro em um patrimônio? 
  • E se vocês brigarem no meio da viagem?
  • Os lugares que você pretende ir são perigosos? 
  • E como é o sistema de saúde destes países? 
  • Vou conseguir me comunicar com você durante toda a viagem? 

Uma boa estratégia é mostrar que esta é uma decisão comum e que milhares de pessoas pelo mundo também fazem viagens sabáticas. Comece a seguir alguns viajantes nas redes sociais, busque exemplos nos jornais e revistas (o Nossa, do UOL, tem várias histórias interessantes) e apresente suas motivações. Poder contar com o apoio das pessoas é sempre bom, mas não se esqueça de que você é o roteirista da sua própria história e, no final das contas, o que vale mesmo são as suas vontades. 

5 – Documentos: passaporte, vistos e atestados de vacinação – Como planejar sua viagem sabática

Casal abraçado em frente a Torre de Pisa
Torre de Pisa.

Passaporte

Para entrar em países estrangeiros é preciso que o seu passaporte esteja com, no mínimo, seis meses de validade. Por isso, para uma viagem de um ano, como foi o nosso caso, nosso passaporte tinha que ter uma validade de, pelo menos, um ano e meio. Fique atento a isso e marque a sua renovação. 

Vistos

Verifique a necessidade de visto para a entrada nos países que você pretende conhecer. De toda a nossa lista, apenas Estados Unidos e Canadá faziam solicitação de visto para turistas brasileiros, sendo que o canadense, para quem tem visto americano, é super fácil e todo o procedimento é feito online. Como já tínhamos o visto para os Estados Unidos, não tivemos muito trabalho em relação a isso. 

Vacinas

Alguns países exigem comprovante de vacinação. Aliás, agora, por conta da pandemia, a maioria deles está exigindo pelo menos a vacina da Covid. Mas, muitos solicitam também alguns outros comprovantes, sendo o mais comum deles o Certificado de Vacina Contra Febre Amarela. 

Não se esqueça que o Certificado Internacional de Vacinas é um documento emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Já soubemos histórias de viajantes que tentaram embarcar com a carteirinha de vacinação do Posto de Saúde e obviamente foram barrados. O Certificado de vacinação para Febre Amarela atualmente é vitalício, tomou a vacina uma vez, não precisa mais repetir a dose. 

Também é importante se atentar para o fato de que as vacinas recomendadas são diferentes das vacinas exigidas e, apesar de alguns países não solicitarem comprovante de vacinação para determinadas doenças, vale a pena você investigar quais vacinas podem ser importantes para você se proteger, ainda que não sejam obrigatórias para entrada no país para onde você está indo. 

Uma boa forma de fazer isso, é marcar um horário de consulta no Centro de Orientação do Viajante Brasileiro do Sistema Único de Saúde, o SUS. Todos os estados brasileiros possuem esses centros de orientação em hospitais públicos. Nós utilizamos o serviço quando fomos viajar para a África do Sul e gostamos muito. Atendimento bem feito, rápido e eficiente. De acordo com o Itamaraty, vacinas contra difteria, tétano, sarampo, caxumba, tuberculose, rubéola e hepatite B são recomendadas para todo tipo de viagem. 

6 – Seguro viagem: como escolher o seu

Casal caminhando em rua de Chateauneuf-du-pape, na França, em viagem sabática
Passeando por Chateauneuf-du-pape, na França.

Fazer a escolha do seu seguro viagem é uma tarefa importante e que vai garantir a sua tranquilidade na viagem, além de ser obrigatório para a entrada em países integrantes do Acordo de Schengen (com uma cobertura mínima de € 30.000). O principal motivo de fazer o Seguro Viagem é a cobertura de atendimento hospitalar, apesar de várias seguradoras oferecerem outras coberturas relacionadas a problemas que ocorrem com viajantes, como perda de bagagem ou atraso do voo. 

Quando você faz o seu seguro viagem, o pagamento de despesas hospitalares pode ser realizado de duas formas distintas, a depender do contrato firmado: diretamente pela seguradora ou por reembolso, sendo que seguros que oferecem reembolso normalmente são mais baratos (mas não se esqueça de que você precisará ter um dinheiro guardado para emergências hospitalares). Uma dica importante que nós acabamos não colocando em prática já que não tivemos a necessidade de passar por nenhum atendimento médico em nossa viagem: você precisa pedir um relatório médico da sua internação ou atendimento para garantir o acionamento da cobertura médica ou o reembolso. Esse relatório precisa descrever o motivo pelo qual você foi atendido e todos os procedimentos que foram realizados, bem como a relação de valores gastos. Para mais informações, você pode acessar diretamente o post saiba tudo sobre seguro viagem, ou pelo menu dicas e utilidades em nosso Blog.

Atualmente existem algumas empresas de seguros de viagem que já possuem a opção de seguro para viagem de volta ao mundo, cobrindo todos os continentes. Se você pretende praticar algum esporte em sua viagem, não se esqueça de garantir que o seu plano possua a cobertura da prática esportiva. Este é um dos itens mais importantes a serem considerados em qualquer orientação que você vá receber sobre como planejar sua viagem sabática.

7 – Dinheiro ou cartão? – Como planejar os pagamentos em sua viagem sabática

Casal abraçado em veleiro na Croácia
Velejando pela Croácia

Todo viajante que pretende ficar fora do país por um longo período busca alternativas para não precisar pagar o famoso Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que consome 6,38% do orçamento dos turistas que utilizam cartões de crédito, débito ou que façam saques em caixas eletrônicos fora do país. Parece impossível fugir desse pagamento a não ser que você leve dinheiro em espécie, o que seria extremamente arriscado em uma viagem tão longa. Além disso, viajantes brasileiros só podem levar até, no máximo, R$10 mil em dinheiro sem precisar declarar à Receita Federal. Caso você leve um valor maior, precisa fazer a declaração.

Atualmente existem algumas alternativas para fugir deste imposto cobrado automaticamente no seu cartão de crédito. Você pode abrir uma conta bancária no exterior, inclusive alguns bancos brasileiros oferecem essa possibilidade. Depois você faz uma transferência de sua conta no Brasil para sua conta no exterior, pagando o IOF de 0,38% e pode realizar saques pagando uma pequena tarifa bancária. Os valores de suas contas no exterior devem ser declarados em seu imposto de renda. 

Você também pode recorrer a fintechs como a Wise que cobram uma taxa para a transferência. Se você enviar o dinheiro para a conta de uma outra pessoa (vamos supor que você tenha um amigo que possa receber o dinheiro no exterior e sacar pra você), a alíquota do IOF é de 0,38%. Se a conta for de mesma titularidade, o percentual aumenta para 1,1%. 

Nós levamos cartões de crédito brasileiros, dinheiro em espécie e também fizemos saque no exterior. É importante que você tenha mais de uma forma de pagamento, já que algumas bandeiras são aceitas em apenas alguns lugares. Também é fundamental sempre ter dinheiro em espécie. Apesar de gastarmos um bom dinheiro com o IOF, fizemos pontos no cartão de crédito e utilizamos estes pontos do programa de fidelidade para comprar passagens aéreas e para garantir hospedagens gratuitas.

8 – Chip de celular, qual o melhor?

Casal abraçado em ponto perto de igreja de Saragoça
Saragoça.

Quando resolvemos fazer a viagem de volta ao mundo eu transformei o meu celular em pré-pago aqui no Brasil para diminuir os meus custos locais. Minha ideia era comprar um chip logo que nós chegássemos em Portugal e ir fazendo recargas ao longo da viagem. Já Fernando manteve seu plano da Claro e adquiriu o “Passaporte Europa” em que ele pagava uma taxa mensal e podia usar a internet no exterior como se estivesse no Brasil, além de ter ligações liberadas tanto para o Brasil quanto para números do exterior. 

Há ainda a possibilidade de você comprar um chip internacional e receber em sua casa no Brasil antes de viajar. Assim você já chega no local com a internet funcionando. Empresas como EasySim4U ou Viaje Conectado oferecem este serviço. 

Como resolvi comprar o chip em Portugal, foi tudo mais trabalhoso. Além de ter fila na loja, o chip pré-pago que compramos em Lisboa e que poderíamos recarregar ao longo da viagem, não funcionou muito bem em outros países, pois as tarifas acabaram sendo maiores e a internet era consumida muito rapidamente. A solução foi comprar um novo chip pré-pago a cada novo país, o que foi bem chato e cansativo. Do ponto de vista financeiro, acabou custando o mesmo que manter o plano de telefonia no Brasil. Ou seja, vale a pena fazer algumas continhas antes de tomar a sua decisão. 


9Meios de transporte: como escolher os meios de locomoção ao planejar sua viagem sabática

Casal dentro de carro em viagem sabática

Aluguel de carro

Ao pensar em como planejar a sua viagem sabática, a decisão de alugar um carro não é a opção mais em conta, mas é, sem dúvidas, bem confortável. Especialmente se você for visitar países com boas estradas, como é o caso da Europa, dos Estados Unidos e da Austrália, por exemplo. Se tiver essa flexibilidade orçamentária, nós sugerimos que você pesquise a possibilidade de se fazer o leasing de um veículo ou um aluguel estendido. Nós só tivemos a experiência na Europa, então não sabemos dizer se na Ásia ou na África esta seria uma opção viável. Mas, na Europa foi um ótimo investimento. Ter o carro sempre à disposição é um conforto e dá uma enorme flexibilidade.

Nós fizemos um leasing através do Programa Peugeot Open Europa, que está presente em 9 países europeus e possui mais de  45 centros de retirada e devolução distribuídos pelo continente. O trâmite para fazer o leasing é burocrático e deu um pouco de trabalho, tivemos que mandar vários documentos e contratos assinados para São Paulo. Mas, uma vez que isso estava resolvido, o resto foi bem fácil. Tanto a retirada do veículo em Lisboa quanto a devolução em Frankfurt foram rápidas e nós prorrogamos o nosso contrato pelo telefone sem nenhum problema. Para ver mais detalhes, acesse Leasing na Europa vale a pena? 

Transportes coletivos: trem, ônibus ou avião

Casal sorrindo para foto dentro de avião em viagem sabática

Nós quase não utilizamos transportes coletivos em nossa viagem, visto que estávamos com carro alugado e fizemos poucos trechos de avião. Mas, sabemos que esta pode ser uma opção mais em conta e prática, especialmente se sua mala for pequena. Abaixo vou colocar algumas dicas de aplicativos que podem facilitar sua busca e garantir os melhores preços para sua viagem. 

OMIO – é um aplicativo onde você faz a comparação de preço e tempo gasto em cada uma das possibilidades de meios de transporte coletivo.

FlixBus – é uma companhia de ônibus alemã conhecida por disponibilizar passagens com os melhores preços da Europa, uma espécie de low cost de ônibus. O serviço funciona em 36 países e oferece mais de 2500 destinos. Você também pode pesquisar o FlixTrain. 

BlablablaCaré um aplicativo de caronas pagas. Uma forma de economizar na sua viagem e de também ajudar o motorista a pagar os custos da viagem dele.

Trailer – como planejar sua viagem sabática

Uma ótima opção de transporte para viagens mais longas, quando você tem maior flexibilidade de tempo e de locais a visitar, é “alugar” um trailer sem gastar nada. Algumas empresas oferecem a possibilidade de você transportar o trailer de uma cidade para outra. Assim eles economizam com o motorista e você pode viver essa experiência de morar em um motorhome gratuitamente. Uma das maiores empresas neste setor é a Immova. 

10 – As malas – como organizá-las no planejamento da sua viagem sabática

Casal na porta de hotel em Lisboa com malas grandes.

Organizar as malas é uma etapa importante do planejamento de sua viagem sabática e demanda bastante atenção e dedicação. A primeira coisa que tenho a dizer é: você vai precisar praticar o desapego, não tem outro jeito. Não dá para fazer uma mala de um ano da mesma forma que um turista organiza suas coisas para passar uma semana de férias viajando. 

Você vai ter que se acostumar a ter poucas opções e, por isso, é melhor dar preferência a cores mais neutras e que combinem entre si, além de sapatos confortáveis. Não dá para levar bolsas, maquiagens ou bijuterias para montar vários looks. Até porque, você vai ter que fazer e desfazer essa mala mil vezes e é bom que essa função não dê tanto trabalho. A palavra chave aqui é praticidade. Não deixe a mala entulhada de coisas, é sempre bom ter um pouco de espaço para ficar mais fácil a reorganização. 

Outra dica bacana é utilizar kits organizadores para fazer sua mala. Os kits são saquinhos que vêm em vários tamanhos e que ajudam a separar tudo por categorias. Assim você ganha bastante agilidade e praticidade.

Outra estratégia que pode ajudar é baixar o aplicativo PACKR – nele você coloca algumas informações como local da viagem, quantos dias irá ficar e se pretende lavar roupas, além das atividades que irá realizar no local e ele monta uma sugestão de itens para levar na bagagem. Mas acredito que esta ferramenta seja melhor para viagens de curta duração. Até porque, no sabático, planejamentos vão sofrer alterações ao longo de seu trajeto.

Medicamentos

Organizar os remédios para uma viagem de longa duração pode ser bastante desafiador, a depender do quanto de medicamentos você normalmente consome. Antes da viagem, nós fizemos uma consulta médica explicando nossa situação e pedimos várias receitas, inclusive de antibióticos. Queríamos tentar evitar ao máximo a necessidade de comprar remédios no exterior, especialmente porque ficamos com medo de não encontrá-los ou de serem vendidos apenas com prescrição médica. 

As diferenças de legislação nesta questão de saúde são notórias. Para se ter uma ideia, o anticoncepcional que eu utilizava no Brasil, que era vendido em qualquer farmácia sem problemas, em alguns países da Europa só é comercializado com receita médica. Tive que levar uma quantidade suficiente para toda a viagem.

Depois que compramos tudo, fomos fazer a organização. Como seria complicado levar os medicamentos nas caixas, nós abrimos as embalagens, retiramos as cartelas e fomos amarrando algumas delas com elásticos de borracha. Assim o volume ficou bem menor e mais fácil de ser transportado. Os remédios principais a gente colocou na bagagem de mão e os menos importantes despachamos na mala grande. 

Depois da viagem ainda voltamos com vários medicamentos não utilizados, inclusive os tais antibióticos. Acredito que nós fomos um pouco exagerados, mas, se fôssemos programar outra longa viagem, provavelmente nós faríamos a mesma coisa. Melhor sobrar que faltar. 

Roupas e sapatos 

Apesar de termos exagerado nos remédios, no quesito roupas e sapatos, conseguimos ser econômicos. Não tanto como gostaríamos porque acabamos tendo que levar roupas para todas as estações do ano e, na mesma mala, tínhamos de luvas a maiôs, de camisas regatas a casacos de frio. A dica é investir em roupas mais neutras e, de preferência, escuras, leves e fáceis de lavar. Sapatos confortáveis e poucos acessórios. 

Nós levamos uma mala de 23kg cada um, além da bagagem de mão, onde iam, essencialmente, nossos equipamentos eletrônicos como computador, máquina fotográfica, tripé, etc, além de uma muda de roupa para o caso de algum extravio da mala despachada. Além do básico de qualquer viagem, também é importante pensar em alguns itens que podem ser essenciais em uma viagem de longa duração, tais como abridor de vinhos e tesoura. Abaixo coloco a lista que fiz com tudo o que coloquei em minha mala, esperando poder ajudar a como planejar sua viagem sabática.

Roupas e sapatos

  • 2 calças jeans 
  • 1 moletom 
  • 1 pijama 
  • 2 shorts 
  • 5 camisetas 
  • 2 blusas 
  • 2 blusas de frio 
  • 1 casaco grande 
  • 1 pulôver
  • 1 jaqueta jeans   
  • 4 vestidos 
  • 10 calcinhas / cuecas
  • 8 pares de meia 
  • 3 sutiãs 
  • 1 bermudas de malhar 
  • 1 calça de malhar 
  • 3 camisetas de malhar 
  • 2 tops de malhar
  • 1 blusa de frio de malhar 
  • 1 elástico para guardar o celular 
  • 1 camisa térmica 
  • 1 meia térmica 
  • 1 cachecol 
  • 1 par de luvas 
  • 1 biquíni 
  • 2 maiôs 
  • 2 camisas proteção UV 
  • 1 tênis de malhar 
  • 1 tênis de passeio 
  • 1 chinelo 
  • 1 Bota 

Nécessaire

  • shampoo 
  • condicionador 
  • barbeador
  • desodorante 
  • hidratante para o corpo 
  • hidratante para o rosto 
  • protetor solar (labial, rosto, corpo) 
  • repelente
  • cortador de unha
  • alicate de unha 
  • pinça 
  • cotonetes 
  • escova de cabelo 
  • escova de dentes 
  • limpador de língua
  • pasta de dentes
  • fio dental  
  • maquiagem

Eletrônicos

  • laptop
  • celular 
  • carregadores 
  • tripé 
  • câmera fotográfica 
  • relógio e frequencímetro cardíaco
  • adaptador universal 
  • kindle 
  • fones de ouvido 

Extras

  • tesoura 
  • abridor de vinho 
  • guarda chuva 
  • travesseiro de viagem
  • par de óculos escuros 
  • par de óculos de leitura 
  • bolsa pequena para sair à noite 
  • bolsa/mochila para o dia 
  • bolsa para praia (dobrável)
  • boné ou viseira 
  • bloquinho com caneta
  • kit costura 
  • fita métrica 

Bom, essas foram as nossas dicas e esperamos que elas tenham ajudado você a começar a planejar a sua viagem sabática. Quer saber mais alguma informação? Entre em contato conosco. E não se esqueça de acompanhar as nossas viagens pelo Instagram @casalgiramundo . Até a próxima.