O que fazer em Montalcino e Montepulciano

Conheça a história dos vinhos Brunello di Montalcino e Vino Nobile di Montepulciano. Saiba o que fazer, quais vinícolas conhecer e onde comer em sua viagem pela região
Renata Assunção

O Brunello di Montalcino é o vinho mais reverenciado da Toscana e um dos mais famosos do mundo. A bela cidade de Montalcino, que fica a cerca de uma hora de Siena e a duas horas de Florença, produz ainda o Rosso di Montalcino, considerado um parente mais jovem do Brunello. Perto dali fica Montepulciano, que produz o também apreciado Vino Nobile di Montepulciano. As duas cidades são importantes pontos turísticos da Toscana e oferecem algumas boas opções de hotéis, restaurantes e passeios. Você pode fazer apenas um bate e volta ou se hospedar pela região. Neste post, vou falar um pouco sobre a história desses vinhos, como são feitos e o que fazer em Montalcino e em Montepulciano.

Paisagem de Montalcino
Vista de Montalcino. Foto: Fernando Cravos

Conheça a história do vinho Brunello di Montalcino

Biondi Santi. Lembre-se deste nome, porque esta vinícola é a principal responsável pelo nascimento deste vinho icônico e continua sendo uma das mais famosas da região da Toscana. A história do brunello di Montalcino começa no final do século 19, quando Ferruccio Biondi Santi resolveu inovar e produzir um vinho bem diferente dos que vinham sendo feitos na região naquele período. À época, a maioria dos vinhos de Montalcino eram doces e brancos.

Ferruccio plantou algumas parreiras da uva brunello – um clone da sangiovese – e fez um vinho tinto cheio de cor e sabor. Além de limitar o rendimento das parreiras, Biondi Santi decidiu investir em uma longa fermentação, deixando as cascas das uvas com o mosto para extrair o máximo de cor. Também resolveu envelhecer o vinho em madeira. Todo esse processo, que hoje é bastante usual, na época foi considerado inovador. 

Ao longo do tempo o vinho foi ganhando fama e, na década de 1980, o Brunello di Montalcino recebeu a denominação DOCG (Denominação de Origem Controlada e Garantida), a mais alta designação para vinhos tintos italianos. Pela regra, os vinhos Brunello di Montalcino só podem levar uma uva: a sangiovese (na verdade, seu clone, conhecido como brunello). Também é preciso que o vinho envelheça 2 anos em madeira (2,5 para o reserva) e mais 4 meses em garrafa (6 para o reserva).

Rosso di Montalcino: um parente mais novo do Brunello di Montalcino

Na mesma região, também é feito o vinho tinto Rosso di Montalcino, que é mais leve, mais frutado e menos complexo do que o brunello. E, claro, bem mais barato. Para fazê-lo são usados vinhedos mais jovens e o rendimento das parreiras é menos limitado. Por lei, o Rosso di Montalcino pode ser lançado um ano depois de cada safra e não há regra de envelhecimento em madeira ou garrafa. 

O que fazer em Montalcino: os principais pontos turísticos

Casal em frente a Fortezza de Montalcino
Foto da Fortezza de Montalcino. Veja o que fazer em Montalcino e Montepulciano

A bela cidade de Montalcino é um convite para caminhar e se perder por suas ruelas. Deixe seu carro em algum dos estacionamento do lado de fora das muralhas e faça todo o roteiro com calma. Não deixe de visitar a Fortezza di Montalcino, construída no século 14. Além de subir nas torres e caminhar pelas muralhas, você pode degustar alguns rótulos de Brunello di Montalcino na Enoteca lá dentro. No verão ocorrem alguns festivais musicais. Quando fomos, participamos de uma noite de jazz inesquecível. 

Muralhas da Fortezza de Montalcino
Por dentro da Fortezza. Foto: Fernando Cravos

Também passe pela Piazza del Popolo, um dos principais cartões postais de Montalcino, onde fica o Palazzo dei Priori, sede da prefeitura atualmente. Por último, também vale conhecer a Duomo de Santíssimo Salvatore, catedral da cidade. 

Casal em frente ao Palazo del Popolo
Piazza del Popolo com o Palazzo dei Priori ao fundo.

Onde ficar em Montalcino: os hotéis premiados

Imagem do alto do hotel Castelo di Velona
Castello di Velona. Foto: Instagram @castellodivelonaresort

O Rosewood Castiglion del Bosco já foi eleito um dos 15 melhores resorts da Europa pelos leitores da revista Travel & Leisure. O Castello di Velona faz parte da Associação The Leading Hotels of The World. E o Castello Banfi está na lista do Relaix & Chateaux e foi eleito o melhor de Montalcino pelo Tripadvisor. 

O que fazer em Montalcino e Montepulciano

Montalcino: quais vinícolas visitar e onde provar o famoso Brunello di Montalcino

Castello Banfi

O Castello Banfi é a maior vinícola da região e oferece diversas opções de passeios dentro de seu resort, que fica a cerca de 20 km do centro de Brunello. Você pode visitar o castelo e fazer uma prova dos vinhos produzidos ali, pode andar a cavalo, programar um passeio de balão ou ainda conhecer os restaurantes La Taverna e Sala dei Grappoli. A propriedade conta com uma enoteca e oferece alguns pacotes de degustações.

Foto da loja de vinhos do Castello Bandi em Montalcino
Castello Banfi. Foto instagram @castellobanfi_wineresort

Frescobaldi

Você pode fazer uma visita ao CastelGiocondo, conhecer as obras de arte contemporâneas e provar os vinhos produzidos na vinícola. Há ainda a possibilidade de se hospedar no castelo ou de jantar na propriedade.

Camigliano – O que fazer em Montalcino e Montepulciano

A 10 minutos de carro de Brunello, a propriedade da vinícola Camigliano oferece degustações e visitas de segunda a sexta em vários horários. 

Il Palazzone

Se o seu tempo for curto, a vinícola Il Palazzone fica a apenas 5 minutos do centro de Montalcino. As provas são feitas dentro do salão onde ficam as barricas de carvalho. Eles também possuem uma pequena loja na propriedade. É preciso mandar e-mail ou telefonar para reservar a visita.

Montalcino: onde comer e beber o Brunello di Montalcino

Mesas arrumadas no Osticcio Ristorante em Montalcino
Foto instagram @osticcioristorante
  • Boccon di VinoO Boccon di Vino é considerado um dos melhores restaurantes da região e fica a menos de 2km da Fortezza. Você pode optar pelo menu à la carte ou pode provar um menu degustação de comidas típicas toscanas. É preciso fazer reserva. Ele tem um terraço super bonito e convidativo para os dias de verão. 

  • Taverna Del Grappolo BluEste restaurante está na lista de Bib Gourmand do Guia Michelin (melhores relações qualidade – preço). É uma taverna italiana bem tradicional, com mesas simples e pratos bem servidos. Fica a cerca de 500 metros da praça principal, a Piazza del Popolo. 

  • Osticcio – É um restaurante super elegante que busca fazer uma releitura da comida toscana. Tem algumas mesas com uma vista panorâmica imperdível.
  • Giglio – O restaurante oferece comida tradicional toscana e tem uma boa carta de vinhos. Fica no hotel Albergo Il Giglio, a dois minutos caminhando da Piazza del Popolo. 
  • Why Not – Para quem gosta de sorvete, esta é uma parada imperdível. A Why Not oferece sorvetes artesanais e fica aberta até tarde. Dizem que a sorveteria foi a primeira parada da ex-primeira-dama americana, Michelle Obama, quando esteve na cidade. 

Veja também: Conheça a rota do vinho Chianti, na Toscana

Conheça a história do Vino Nobile di Montepulciano

Imagem das parreiras de Montepulciano
Foto: Fernando Cravos

Acredita-se que o nome “Nobile” tenha sido inspirado pela fama do vinho entre os nobres. Desde o século 16, há menções ao vinho produzido em Montepulciano. O Papa Paulo III o conhecia, Voltaire o elogiou em seu livro “Cândido, ou o Otimismo” e até os presidentes americanos Thomas Jefferson e Martin Van Buren, teriam servido o vinho em eventos na Casa Branca. 

O Vino Nobile deve ser feito a partir de um mínimo de 70% de Prugnolo Gentile – como é chamada a Sangiovese em Montepulciano – e um máximo de 30% de outras uvas autorizadas na Toscana (inclusive algumas uvas brancas, que, apesar de permitidas, são pouco utilizadas). Para receber o selo DOCG, o vinho deve ainda passar por um período de envelhecimento de dois anos, com pelo menos um período de estágio em madeira. Para os Riserva, o período mínimo é de três anos de envelhecimento. 

ATENÇÃO: Não confunda o Vino Nobile di Montepulciano, feito principalmente com a prugnolo (clone da sangiovese) com a uva montepulciano, plantada especialmente na região de Abruzzi.

Rosso di Montepulciano: um parente mais novo do Vino Nobile di Montepulciano

Assim como Montalcino, Montepulciano também produz um vinho considerado mais simples, o Rosso di Montepulciano. Feito com a uva prugnolo de parreiras mais jovens e sem regras de rendimento, ele amadurece menos tempo em carvalho do que o Vino Nobile.  

O que fazer em Montepulciano: os principais pontos turísticos    

Rua de Montepulciano
Foto: Fernando Cravos

A cidade de Montepulciano surgiu sobre um antigo assentamento etrusco e foi um importante centro cultural durante o Renascimento.  Caminhar pela Via del Corso, a principal rua dentro das muralhas da cidade medieval, é a principal atração de Montepulciano. Ela é cheia de lojinhas de artesanato e vinho, além de bares e restaurantes. Fora isso, você pode visitar algumas igrejas, palácios renascentistas (o Avignonesi é lindo) e ver a Torre dell’Orologio, além de apreciar a bela vista do alto da cidade. 

Foto: Fernando Cravos

Para os apaixonados por vinhos, há aqui uma característica importante: por conta da diferença de altitude de até 60 metros, existem várias vinícolas subterrâneas. Mas, isso também significa que a caminhada até o topo da cidade é bem íngreme e um pouco cansativa. A boa notícia é que você pode fazer algumas degustações dentro das muralhas da cidade, sem precisar pegar o carro e dirigir. 

Veja também: O que fazer no Piemonte

Montepulciano: quais vinícolas visitar para provar o Vino Nobile di Montepulciano

Fortezza de Montepulciano – O que fazer em Montalcino e Montepulciano

Dentro da construção de 1261 (reformada em 2007), há a Enoliteca, espaço que tem um piso de vidro transparente instalado sobre um sítio arqueológico etrusco e romano que foi descoberto durante a restauração da Fortezza. Dentro da Enoliteca você pode aproveitar o wine bar e a loja de vinhos com diversos rótulos locais. Mais informações AQUI. 

Avignonesi

Imagem do alto da vinícola Avignonesi
Foto instagram @avignonese

A Avignonesi é uma das maiores vinícolas da região de Montepulciano e oferece diferentes experiências para o turista. Você pode agendar um tour pela vinícola, uma aula de culinária, um almoço ou jantar.

Icario

A vinícola oferece degustações, visitas pela propriedade, almoços e aperitivos com produtos locais, além de uma pousada com piscina.

Montepulciano: onde comer

O que fazer em Montalcino e Montepulciano

Le Lodge del Vignola. Foto do site oficial
  • La Grotta – O restaurante, que está indicado pelo Guia Michelin, fica em frente ao templo de Saint Biagio, um dos grandes exemplos da arquitetura renascentista da Toscana. Ele serve pratos da culinária toscana e no verão tem algumas mesas dispostas na varanda.

  • Le Lodge del Vignola – O restaurante fica no centro da vila e oferece pratos regionais. O salão é um pouco apertado, mas muito bem decorado e aconchegante. Também está indicado pelo Guia Michelin. 

  • Osteria Acquacheta – Esse restaurante com mesas compartilhadas é para você se sentir em casa. É simples e descontraído. Eles são especializados na famosa bisteca alla fiorentina e oferecem porções bem generosas.

Veja também: Como fazer a rota de Champanhe

Bom, essas foram nossas dicas. Se ficou alguma dúvida, entre em contato conosco. E não esqueça de nos seguir no Instagram @casalgiramundo