O que fazer em Granada e como visitar a Alhambra

Saiba a história da Alhambra, o complexo de palácios construído no período do domínio árabe da Espanha. Veja também onde se hospedar, onde comer e o que fazer em Granada.
Renata Assunção

Granada é umas das cidades da Andaluzia, na Espanha, que mais atraem turistas, a maior parte deles interessados nos monumentos históricos que foram construídos ainda no período em que os árabes dominavam o país. É lá que fica a Alhambra, um complexo de palácios, fortes e jardins, que é o monumento mais visitado de toda Espanha. Neste texto vamos falar sobre o que você pode fazer em Granada e como visitar a Alhambra.

Veja nosso roteiro de Sevilha, outra cidade histórica da Andaluzia.

Outros pontos importantes:

Além da Alhambra, você poderá visitar o Albaicín, que é um bairro mouro que também guarda construções do estilo muçulmano, o Sacromonte, que era um bairro cigano e onde você poderá encontrar várias casas de apresentação de dança flamenca e a Capela Real, onde estão enterrados os reis católicos Fernando de Aragão e Isabel de Castela. 

Ingressos – O que fazer em Granada

Antes de mais nada, é preciso se organizar e comprar a entrada para a Alhambra com antecedência, pois esses ingressos se esgotam rapidamente, especialmente se sua visita for realizada durante o verão europeu. Nós compramos os nossos ingressos pelo site, um mês antes da viagem. Para ver a disponibilidade e fazer sua compra, clique AQUI

Quando você for comprar o ingresso, precisará também decidir a hora de preferência para fazer a visitação. No verão recomenda-se evitar o início da tarde por conta do calor. Mas saiba que o horário escolhido é apenas para conhecer os Palácios Nazaríes. Você deve entrar mais cedo para conhecer os outros locais do complexo e precisa estar em frente a entrada dos Palácios Nazaríes no horário marcado em seu ingresso.

Lembrando que as filas são grandes e você precisará passar por detectores de metal, o que faz com que todo o processo de entrada seja um pouco lento. Se você não estiver na hora marcada na porta dos Palácios Nazaríes, pode acabar perdendo a oportunidade de conhecer esta parte da Alhambra. Geralmente, da porta de entrada gasta-se 20 minutos para chegar até a Alcazaba, 17 minutos para chegar aos Palacios Nazaríes e 15 minutos para chegar ao Generalife. No site oficial, a sugestão é que você reserve cerca de 3 horas para conhecer todo o complexo. Nós gastamos quase 5 horas. 

Guia turístico – O que fazer em Granada

Assim como você precisa se organizar para garantir os ingressos, uma dica importante é tentar encontrar um guia turístico para te acompanhar na visita. Além de te contar as histórias do lugar, o guia vai te ajudar a não se perder, porque o complexo é bem grande. Nós conseguimos fechar negócio na porta da Alhambra. Vá em diferentes estandes (quando fomos tinham vários espalhados bem próximo à bilheteria) e negocie bem o valor a ser pago e o número de horas que o guia estará disponível. Você também pode comprar uma visita guiada em grupo no site oficial  da Alhambra. Para este ingresso a sugestão é que a reserva seja feita com um mês de antecedência.

Como visitar a Alhambra– O que fazer em Granada

A alhambra possui três partes principais que requerem ingressos: La Alcazaba, que é a construção mais antiga do complexo, los Palacios Nazaríes, onde estão as principais relíquias árabes e o Generalife, local de descanso dos reis. O Palácio de Carlos V e o Museu da Alhambra têm entrada livre. Nosso roteiro foi o seguinte: Começamos a visita pelo Generalife, depois seguimos para os Palácios Nazaríes, passamos no Palácio de Carlos V e terminamos o passeio na Alcazaba.

O Generalife era o local de descanso e recolhimento dos reis e, ao mesmo tempo, também era o local onde se plantava a horta e de onde se tirava o abastecimento da Casa Real. As plantas foram escolhidas para dar uma sensação gostosa de um ambiente doméstico, mas o jardim que se vê hoje começou a ser replantado em 1931 e não tem nada a ver com os da Idade Média. Apesar de já ter sofrido alterações, o Pátio de la Acequia é o que melhor conserva o estilo do jardim andalusí. A água teria a função de espelho (as bombas que fazem a água jorrar vieram bem depois) e o muro não teria nenhuma abertura, porque de acordo com a tradição moura o “paraíso” é fechado, invisível por fora e voltado sobre si mesmo.

Apesar de já ter sofrido alterações, o Pátio de la Acequia é o que melhor conserva o estilo do jardim andalusí.

A parte mais antiga da Alhambra é a Alcazaba. Alguns especialistas afirmam que ela foi construída antes dos mouros ocuparem a região, mas os primeiros registros oficiais datam do século 9, quando Sawwar ben Hamdun se refugiou ali durante uma guerra civil. Os palácios como o vemos hoje começaram a ser construídos no século 13 pelo rei Mohammed I (Mohammed ben Al-Hamar), da dinastia Nasrida, que comandou a região até o final do século 15.

A Alcazaba é a parte mais antiga da Alhambra. Na foto, a Plaza de Armas com os escombros de casas de soldados

Domínio árabe – O que fazer em Granada

As principais estruturas árabes da Alhambra que podem ser visitadas pelos turistas estão dentro dos Palácios Nazaríes. O palácio está dividido em três partes: o “Mexuar”, os “Comares” e os “Leones”. Grande parte das obras foram realizadas a mando dos reis Yusuf I (1333-1353) e Mohamed V (1353-1391).

O Pátio dos Leões era o núcleo privado da casa do Sultão. Acredita-se que os 12 leões da fonte representam os signos do zodíaco.

O pátio dos Leões (Leones) é a parte privada dos palácios. Lá dentro você verá algumas dependências que eram destinadas às mulheres. Mas não se pode chamar de harém porque neste espaço também aconteciam atividades diplomáticas e políticas do reino.

Existem algumas histórias da Alhambra que já não se sabe se foram lendas ou realidade. Conta-se que os Zenetes, uma família nobre, conspirou contra os Abencerrajes, outra família com destaque político. Eles teriam inventado que a esposa do sultão o teria traído e por isso, 36 cavaleiros teriam sito mortos em uma festa. Dizem que as manchas vermelhas no fundo de uma fonte seria do sangue dos assassinados.



Booking.com

Na Alhambra Alta (Secano) você poderá ver alguns escombros da cidade que foi construída dentro dos muros, onde moravam famílias importantes e onde ficavam alguns edifícios administrativos e casas de soldados. Aqui na foto abaixo, o local onde fora construído o Palácio de Los Abencerrajes.

É muito interessante perceber como a arquitetura de um lugar pode falar sobre costumes e sobre a história de quem por ali passou. Os palácios construídos pelos reis árabes, por exemplo, não tinham nenhuma imponência do lado de fora, nem janelas. A ventilação era garantida por varandas construídas dentro do palácio. Tudo isso era feito para manter a privacidade. Os muçulmanos eram práticos e faziam as obras pensando de forma funcional. Os quartos de verão eram construídos no térreo, com janelas internas grandes para ventilar, os de inverno ficavam no segundo andar e eram baixos, para garantir o aquecimento natural. Para as construções eles usavam um pouco de chumbo por causa dos terremotos, o que garantiu que grande parte dos ambientes continue de pé até hoje. 


Seguros Promo

Domínio católico – O que fazer em Granada

O domínio árabe acabou com a chegada dos reis católicos, Fernão de Aragão e Isabel de Castela, em 1492. Do período dos reis católicos o maior destaque é o conjunto arquitetônico construído sob o reinado de Carlos V (1516-1556), que destruiu parte do Palácio de Inverno para construir um palácio com seu nome no estilo renascentista.

Durante a dominação francesa, parte da fortaleza foi destruída. Aliás, se fosse por Napoleão, tudo estaria destruído. Foi um soldado da tropa que resolveu desarmar alguns dos explosivos, salvando parte da Alhambra como a vemos hoje. 

Em 1984 a Alhambra e o Generalife foram considerados Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. A Alhambra inspirou filmes, músicas, artes gráficas e formas de arquitetura mais modernas. Um lugar realmente inesquecível.

O que mais conhecer em Granada?

Bairro árabe Albaicín – O que fazer em Granada

O Albaicín é um bairro árabe que mantém ainda hoje as características arquitetônicas típicas da influência muçulmana, tais como ruas estreitas e casas brancas. Existem alguns tours guiados por lá para conhecer os principais pontos turísticos, mas o mais legal é visitar o mirante de San Nicolás, que tem a vista mais linda da Alhambra. O ex-presidente americano Bill Clinton afirmou que dali viu o “pôr do sol mais bonito do mundo”. Você verá alguns vendedores de artesanato e alguns artistas fazendo apresentações de dança e música. Ali também fica o restaurante que a gente mais gostou em Granada, o Estrellas de San Nicolas.

Da Alhambra avista-se o bairro árabe Albaicín. Casas brancas e ruelas marcam sua arquitetura.

Você pode visitar também a Muralha Zirida, a Muralha Nasrida, a Puerta de Elvira, entre outros pontos turísticos importantes. Nós recomendamos que você faça isso com um guia, porque as ruas são um pouco labirínticas.

Bairro Sacromonte – O que fazer em Granada

O bairro é bastante popular para aqueles turistas que querem assistir um show de dança flamenca nas casas ciganas (cuevas) da região. Essas residências são escavadas na montanha e por dentro parecem uma caverna. As ruas são bem apertadas e em muitas delas só passa um carro de cada vez. Há uma grande variedade de ofertas de shows e você pode comprar seus ingressos através do seu hotel ou em uma das tendas turísticas do centro da cidade ou em frente à Alhambra. Passear por lá durante o dia pode ser interessante. Você pode ter uma outra vista da Alhambra na rua Vereda de Enmedio, pode visitar o museu Cuevas de Sacromonte ou passear pela Abadia de Sacromonte

Capela Real – O que fazer em Granada

Depois de ver tantos pontos importantes do período do domínio árabe da Espanha, nossa dica é que você visite a Capela Real que fica dentro da Catedral de Granada, o projeto mais ambicioso dos reis católicos Fernão de Aragão e Isabel de Castela. A capela foi construída no local onde ficava uma antiga mesquita e lá estão os restos mortais dos reis católicos. Se você não quiser pagar pra entrar, vale a pena passar em frente à catedral para ver a fachada. 

Onde se hospedar em Granada

Nós nos hospedamos no ótimo Eurostars Washington Irving, um hotel cinco estrelas que fica em frente à Alhambra. Foi um charme ficar em um quarto com vista para o ponto turístico mais visitado de toda Espanha, mas, ao mesmo tempo, ele acaba ficando um pouco na contramão dos bares e restaurantes da cidade e tivemos que pegar táxi para todos os nossos deslocamentos. Na verdade, de lá para o centro são cerca de 15 minutos caminhando, porém a volta é uma subida bem íngreme. De qualquer forma, adoramos nossa hospedagem. O atendimento foi super eficiente e o restaurante tem algumas boas opções. Ele é o hotel cinco estrelas com a melhor nota de avaliação pelo Booking.com. Para ver mais informações e fazer sua reserva, clique AQUI



Booking.com

Outras opções de hotel – O que fazer em Granada

Cinco estrelas:

Hotel Palacio de Santa Paula

Quatro estrelas:

Barceló Carmen Granada

NH Collection Victoria

Eurostars Puerta Real

Três estrelas:

Granada Five Senses Rooms & Suites

Room Mate Leo

Onde comer em Granada

Estrellas de San Nicolas

Este restaurante fica ao lado do mirante de San Nicolás e tem uma linda vista para a Alhambra. A comida é mediterrânea com um toque francês. Comemos uma salada de queijo de cabra de entrada e uma coxa de pato de prato principal. A sobremesa foi um mil folhas. Você pode ver o cardápio completo com os preços no site oficial AQUI. Não se esqueça de fazer sua reserva. 

Il Gordolieri

Este é um ótimo restaurante italiano de Granada com opções de massas, carnes e pizzas. Para ver o cardápio e fazer sua reserva, clique AQUI.

Sibarius

Este restaurante nós descobrimos por acaso, passeando pela praça Bib Rambla, depois de uma caminhada pelo centro da cidade, onde também aproveitamos para ver a Catedral. Ele possui um cardápio com comida mediterrânea e algumas opções de comida japonesa. Para ver o cardápio e fazer sua reserva, clique AQUI.

Jardines Alberto

Este é um restaurante bem simples que fica em frente à Alhambra e ao lado do hotel onde nos hospedamos. Nós fomos lá um dia para tomar café da manhã e em outro para almoçar. Você sobe por uma escadinha e lá em cima tem uma vista da Alhambra (não tão bonita quanto a do Mirante San Nicolas). Para informações e reservas, clique AQUI.

Veja também nossos roteiros de outros destinos da Espanha

O que fazer em Málaga

O que fazer em Madri

Bate e volta de Barcelona para Girona e Tossa de Mar